EXTRA – Cazuza

outubro 9, 2007 às 2:14 pm | Publicado em EXTRA | 11 Comentários
Davi Cruz

Recebi esta interessante crítica, enviada pelo meu grande amigo Marllon, diretamente de Manaus, e achei interessante publicá-la aqui.

“Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora. As pessoas estão cultivando ídolos errados. Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza? Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível.

Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado. No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos. A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta.

São esses pais que devemos ter como exemplo?

Cazuza só começou a gravar pois o pai era diretor de uma grande gravadora. Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.

Cazuza era um traficante , como sua mãe revela no livro. Admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra. Um criminoso.

Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.

Estou horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente, ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que bater na mãe, usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, são certas, já que foi isso que o filme mostrou.

Por que não fazem filmes de pessoas realmente importantes, que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria?

Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.

Devo lembrar aos pais que, a morte de Cazuza, foi consequência da omissão dos seus pais, e uma educação errônea a que foi submetido.

Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO, quando necessário? Lembrem-se que, NÃO, é a prova mais difícil de amor .

Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar. E essa educação já começa desde bebê. Não se preocupem em ser amigo de seus filhos. Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi a pessoa que mais os amou. Foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois o verdadeiro amigo, não diz SIM, sempre.

Portanto, NÃO, é a melhor maneira de dizer ao seu filho que você o ama e ele é a pessoa mais importante da sua vida.

(Karla Christine)

11 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Concordo plenamente! Acho um absurdo o culto a esse mauricinho filho de ricos e que não tinha escrúpulos.

    José Linhares . PARANÁ

  2. Discordo dessa opinião careta e retrógrada.

    Talvez Cazuza não tivesse acesso às gravadoras se seu pai não fosse presidente de uma, mas ele era um poeta. Estão aí as suas lindas músicas que não me deixam mentir.

    E se ele morreu de AIDS, a culpa não foi da mãe. Ele era aidético porque era homossexual e contraiu a doença logo que ela surgiu, quando as pessoas ainda não tinham acesso à tratamento e informação como temos hoje. E ser gay é falta de cuidado da mãe? Ora, por favor! Homossexualidade não é doença, não é coisa do satanás… é uma opção apenas.

    O importante nessa vida é ser feliz. Se para isso você quiser transar com 15 pessoas ao mesmo tempo ou beber até cair, que seja.

    Essa mãe que escreveu isso me lembrou de uma ex-vizinha minha: estava tão ocupada falando da vida dos outros que foi pega totalmente de surpresa quando a filha de 15 anos apareceu grávida.

    Enfim, desculpe se me alonguei, mas não suporto essa hipocrisia.

    Abraço!

    • Grande argumentação e coerência.
      Brilhante…

  3. Oi Gisele!
    Embora eu não tenha escrito a crítica e sim, apenas a publicado por indicação de um amigo, concordo com algumas coisas que estão no texto.
    Tenho vários amigos e amigas homossexuais e são pessoas dignas, as quais sempre respeitei. Mas não é isso que está em discussão no texto. Você desviou o assunto, caindo no velho e batido clichê, ao chamar o texto de “careta” e reclamando da “hiprocrisia” da humanidade.

    O que está sendo discutido é apenas a falta de limites dos filhos. E Cazuza ilustra bem essa situação.

    Ainda não sou pai, mas pretendo ser brevemente – e sei que você é mãe – e, COM ABSOLUTA CERTEZA, “Cazuza” (e nem seus pais) são exemplos que gostaria de seguir na minha família. Só isso.

    Ah, e essa declaração de que “Cazuza é poeta”…desculpe, mas tá muito Rede Globo. Talvez Renato Russo pudesse ser considerado poeta, até por ser bastante culto e ter uma personalidade sombria. Mas Cazuza… era apenas um porra louca que fez meia dúzia de boas músicas (e para isso, contando com o enorme auxílio de Frejat e Cia).

    Um abraço!

  4. Esse ai nem merece muito comentário, pois está claro que ele não conhece a obra de Cazuza, agora entendo que aquela fulana que se acha psicologa (que piada), não conhece tambem a obra do Cazuza, e que na verdade procura resposta de como deve educar sua filha, que teve a triste sorte de ser filha de quem é, só sugiro que não a deixem assistir a filmes como Hannibal ou Jack estripador, ou até mesmo pânico, american pie rsrsrs, vai que ela mistura todos esses exemplos e sai por fazendo horrores, só rindo mesmo de pessoas tão inseguras.

  5. Desculpe Fabiana, mas não consegui acompanhar o teu raciocínio…
    Sem uma pontuação adequada (não apenas vírgulas e mais vírgulas) fica muito difícil de entender. Tanto que não “decifrei” de quem você é contra ou a favor.

  6. EM DEFESA DE CAZUZA: RESPOSTA A “DRA. KARLA”

    Resume-se o texto nos seguintes pontos:

    – A autora do texto assistiu ao filme de Cazuza e dele retirou todas as suas idéias e concepções sobre o mesmo.
    – A autora critica o fato de a sociedade considerá-lo como ídolo, pois, segundo a mesma, nenhuma pessoas com seus estilo de vida (homossexualismo, bebidas, drogas e sexo) à margem da sociedade deve ser tomado como exemplo.
    – A autora solicita o envio da mensagem para o máximo de pessoas, objetivando evitar que jovens tomem Cazuza como exemplo de vida.
    – A autora para confirmar suas teses se utiliza do argumento de autoridade, afirmando ser psicóloga.

    Em primeiro lugar: Cazuza é ídolo e ponto. Isso independe do que a autora pensa dele e ninguém tem condições de definir “certo e errado”. Se a autora possui algum pensamento negativo, isso se deve a ele ser uma figura controvertida, que possuía diversas mensagens a passar. A Cazuza aplica-se a máxima popular de que “nem Jesus agradou a todos”. Mentes brilhantes como Nietzsche na filosofia, Darwin na biologia, João Paulo II na religião, Caetano Veloso na MPB e Schumacher no esporte estão longe de agradar a todos, pois o ser humano é complexo e não existe nenhuma concepção absoluta do que é bom e mau. Para se criticar um ídolo, é necessário uma boa fundamentação para não cair no ridículo e considerar um filme comercial como fonte não atende a esse critério. Se assim o fosse, os trabalhos acadêmicos de conclusão de curso seriam bem mais fáceis.
    Em segundo, é preciso entender o porquê de Cazuza ser ídolo, e seu estilo de vida nem somente suas letras “tocantes” não são a resposta. Ninguém “cultua as bebedeiras e transgressões” e sim Cazuza que, assim como Renato Russo e Raul Seixas entre outros, eram grandes nomes do Pop Rock Nacional no período de transição da Ditadura para a Democracia. O pop tinha a função de diálogo com as massas jovens, pois era uma música de revolta com enormes doses de filosofia. Além disso, Cazuza foi o primeiro famoso a encarar o problema da AIDS e, ao invés de se esconder o que seria uma reação humana absolutamente normal, abriu sua vida para que todos pudessem ver que mal era aquele, chegando a realizar shows com o corpo absolutamente desgastado pela doença e servindo de reflexão aos brasileiros. Era o primeiro contato da população com uma doença que iria mudar de forma definitiva nossos hábitos.
    Em terceiro lugar qualquer crítica aos cantores desse período é um sinal claro de ingratidão pela sua importância histórica. Foram eles que incutiram ideais responsáveis por derrubar a ditadura e eram eles que embalavam boa parte das canções e ideologias dos caras-pintadas e dos DCE’s universitários atuantes. Com eles a população aprendeu a responder e até a colocar um presidente pra fora. Hoje estamos vivendo o populismo emergente do pós-ditadura e não temos nenhum ídolo que conclame os jovens a pensar. Acreditem, o simples fato de haver qualquer discussão na internet sem coerções deve-se a esses ídolos que em alguns casos chegaram a serem expulsos do país pela ditadura.
    Em quarto lugar o filme é comercial: Ou seja, o objetivo é fazer dinheiro e nada mais. Cazuza tinha sim qualidades, mas é o seu lado polêmico que iria atrair e é assim que os filmes são pensados. Se o filme fosse pra mostrar uma pessoa comum, a autora não teria assistido.
    Em quinto lugar eu e muito brasileiros temos Cazuza como ídolo pela filosofia em versos que ele nos entregava e pela luta de vida que representou. Quando escolho um ídolo não me importo sobre sua sexualidade, religião ou escolhas de vida. Cada um sabe o que faz e para evoluirmos temos que pegar as coisas que consideramos boas das pessoas. Não sei se a autora já mudou de vida para imitar um ídolo, mas pedir que pessoas reneguem alguém por determinada opção pessoal chama-se PRECONCEITO e quando dirigida ao alguém do nosso meio é crime com pena de detenção. Estimular preconceitos é atitude muito mais repreensível do que qualquer ato que Cazuza tenha realizado em vida.
    Em sexto lugar, como Administrador com pouquíssimos conhecimento de psicologia/psicanálise, convido a autora, que se diz psicóloga, a assistir novamente o filme e perceber que: a) a referência(fonte) do filme e do livro é a mãe de Cazuza b) O filme mostra uma mãe perfeita e um filho muitas vezes cruel. Dessas duas informações é muito fácil depreender que a história apresenta uma visão narcisista-social da mãe, mostrando uma preocupação muito grande em mostra uma imagem quase divina da mesma. Se cazuza só tivesse um lado negativo, esse teria grande influência materna. O filme, num segundo plano de visão, não conta a vida de Cazuza, mas sim o sofrimento da mãe que coloca o filho como contraponto da própria imagem. Leigos não notariam isso, mas eu tenho um maldito vício de esperar um pouco mais de especialistas.
    Em sétimo lugar: Se a filha da autora precisou de conversa para entender que participar de bacanal e beber até cair não são coisas certas, isso provavelmente significa que sua criação foi errada e com pais ausentes. Precisa de uma psicóloga.

    Peço desculpas aos que se sentirem ofendidos, mas não podia ficar calado diante de um texto preconceituoso utilizando um ídolo como pretexto. Faço parte de uma minoria no que tange a concepção religiosa e critico veemente tais posições.

    abr@ços

    Álvaro Borges
    admborges@yahoo.com.br

  7. Gostei do teu comentário Álvaro. Opiniões assim, fundamentadas, são sempre bem vindas. Lembro que postei esse arquivo por sugestão de um amigo e não por iniciativa minha.

    Porém, mesmo achando muito bom o teu comentário e concordando em grande parte com ele, também sou favorável ao texto da Dra. Karla – tão duramente criticada aqui.

    A questão não é o Cazuza em si (até porque sou fã de vários artistas com estilos de vida até piores), mas a forma com que todos nós elegemos nossos ídolos. Passamos a vida tentando ser honestos, íntegros e trabalhadores e elegemos como ídolos pessoas com estilos de vida justamente opostos a esse. Isso se reflete, inclusive, nas escolhas políticos feitos pelo nosso povo.

    Enfim, acho que, no final das contas, para a nossa sociedade o que importa “é ter sucesso”. Se Cazuza não tivesse ganho dinheiro e aparecido na GLOBO, seria considerado “bicha maconheira” sim…Hipocrisia, para mim, é isso.

    Sou contra qualquer pseudo-moralidade, tenho amigos gays e não sou uma pessoa religiosa. Porém, acho que certos valores deveriam mais valorizados (olha o pleonasmo aí).

  8. pra mim renato russo da de dez a zero no cazuza.
    É só porque era do Rio deram esse ibope todo pro cara.

  9. Olha, fiquei estarrecido e chocado com alguns comentarios.Tentarei manter a linha de pensamento,senão ficarei incompreendido.Vamos lá;
    De inicio, algumas cabecinhas compararam renato russo a cazuza.Esses são uns bossais,afinal não se compara genios,seria como perguntar quem foi maior galileu ou newton, ou ainda socrates ou aristotéles.
    Quem foi o maior ??? São genios, as opniões se divergem.
    Na minha opnião; cazuza,renato e raul, são os grandes percussores e icones do rock brasileiro.Porém, cazuza foi realmente o grande poeta.Era lírico,ousado e apaixonante,uma mistura de vinicius de moraes e carlos drummond de andrade.
    Outra, cazuza tem meia duzia de musicas ??????
    Esse realmente não sabe o que é musica popular brasileira.
    Por acaso, já ouviu falar sobre cassia eller ? Sabe que um dos seu discos (veneno antimonotonia 1997) contia apenas musicas compostas por cazuza.Musicas como blues da piedade,brasil,pro dia nascer feliz,preciso dizer que te amo,por que agente é assim ?,bete balanço,menina mimada,todo amor que houver nessa vida,ponto fraco e outras mais.Só aí foram 9 musicas.E o outro disse meia duzia !
    Ficaram de fora musicas como exagerado,codinome beija-flor,malandragem,garotos; Que isso dizer que forá ele o maior poeta de sua geração, não é nada rede globo, desde 85 já o taxam assim.Olha quem falou isso não foi eu, mas sim um jornalista chamado NELSON MOTTA.
    Quanto ao dizer que foi ele um marginal, um cara que não trouxe nada de bom a sociedade brasileira, outro erro terrivel.Quem foi a primeira celebridade a assumir a aids no brasil ? ou então, o primeiro a falar sobre a aids ?
    usuario de drogas, sim ! Sustentava o narcotráfico carioca.Mas proibição de drogas como maconha e cocaína, são atitudes de sociedades atrasadas,a holanda legalizou a maconha a mais de uma decáda.Porém, no BRASIL nem as passeatas de liberdade de pensamento são aceitas.Lembra da marcha da maconha ? Proibida por 3 anos seguidos,só recebeu propagação nacional com o vexame(desculpe,não usei aspas pois meu teclado está defeituoso) do ministro carlos minc que participou, foi taxado de maconheiro pela revista ISTO É .
    A nossa constituição está toda errado.
    Por fim o culto feito a ele, e realmente errado ! Não se pode cultuar pessoas como cazuza,renato,kurt cobain,jimmy hendriz,janes jopplin,bruce dickison,ozzy osbourne,axel rose,paul, e etc, pois já dizia o grande renato: os seus idolos tem pés de barro.São pessoas de carne e osso, capazes de cometer erros e acertos.
    Desculpe a minha demora.Meu e-mail ta aí,quem quiser entra em contato,
    será louvavél uma discussão mais profunda sobre o caso.

  10. Que absurdo o comentário contra Cazuza. Ele é um ídolo, com suas belas letras. Pode ter cometido alguns erros, mas quem não tem os seus? Parafraseando o maior mestre de todos os tempos: ” Quem não tem pecado que atire a primeira pedra.”. E outra não é porque uma pessoa é rica que ela é melhor ou pior. Não são só os ricos que possuem erros, isso não é uma condição que determina o caráter, por isso o comentário da Karla foi infeliz.
    Morena Brasil.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: