HEROES [2X09] – Cautionary Tales

novembro 22, 2007 às 8:28 pm | Publicado em Heroes | Deixe um comentário

Davi Cruz – Nota 9,0

HEROES voltou a engrenar. Essa boa fase pode ser facilmente comprovada pela significativa melhora na audiência nos EUA, mas principalmente pelo gostinho de quero mais ao final deste episódio.
Mesmo com as eventuais falhas de roteiro, HEROES tem conseguido me agradar. Achei este capítulo movimentado, tenso e com uma produção bastante caprichada.
Hiro, após oito episódios passados no Japão Medieval, está de volta a ação. Mais maduro e amargurado, ele agora tem controle total sobre suas habilidades e pretende usa-las para salvar seu pai. Para isso, volta no tempo e encontra seu pai, lhe contando sobre sua morte. Como o sr. Nakamura não aceita a idéia de mudar a história, Hiro o leva de volta no tempo, até o dia em que sua mãe morreu – com isso, tentando lembrar o seu pai de quanto uma perda pode ser dolorosa.
A tentativa, porém, não funciona e o sr. Nakamura está decidido a entregar-se ao seu destino. Pelo menos, a viagem serviu para aproximar pai e filho e rendeu um cena muito legal, com Hiro encontrando um Hiro ainda criança, no funeral da mãe. Ah, mesmo essa cena legal escondeu um pequeno erro: como o jovem Hiro não reconheceu seu próprio pai, que estava ali junto com o Hiro adulto?
Mesmo não conseguindo impedir a morte do pai, Hiro mostra que voltou bem mais esperto e usa seus poderes para descobrir o assassino do seu pai: Adam “Tazeko”.
Já Parkman descobre que, assim como seu pai, ele também consegue plantar pensamentos na mente de outras pessoas, conseguindo com isso controla-las. Procura então Ângela Petrelli e usa seus poderes para tirar dela informações. Ela confirma o fato de Adam ser o responsável pelas mortes e diz que a geração dela fez tudo o que fez para proteger as futuras gerações.
Quando Parkman pergunta sobre uma mulher misteriosa, presente na foto, Ângela tenta resistir e pede para que ele não insista, pois a tal mulher “só quer ficar em paz”- e diz que, se ele insistir, estará agindo como o pai dele. Mesmo que não seja mostrado o desenrolar dessa cena, fica claro que Parkman não desistiu e conseguiu a informação que queria, pois mais tarde o vemos observando a foto misteriosa, onde a tal mulher agora está identificada como VICTORIA PRATT.
Mas os principais eventos do episódio são centrado na família de Claire. Seu pai, Noah Benett, está descontrolado após ver sua morte está estampada em um dos quadros de Isaac Mendez e está disposto a tudo para reverter essa situação. Ele pretende fugir, juntamente com a família, pois acha que sua morte tem ligação direta com West, namorado de Claire.
Mal sabe ele que o verdadeiro perigo é outro: Mohinder, Bob e Elle vão até Costa Verde para tentar capturar Claire – segundo Bob, para estudar melhor suas habilidades. Mesmo contra a vontade do Dr. Suresh, Elle segue com eles pronta para eliminar o sr. Benett, se necessário (no caso da sádica menina, sempre é necessário).
Eles conseguem capturar Claire, mas Benett, contando com a ajuda de West, pega Elle como refém e propõe ao pai dela, Bob, uma troca. Aliás, adorei a forma simples e inteligente usada por Benett para controlar os poderes de Elle: a colocou amarrada em uma cadeira, com os pés imersos em um balde de água – deixando a garota, literalmente, em curto.
Benet aproveita para contar a Elle sobre os testes cruéis a que seu pai a submeteu quando criança. Conta que ela não lembra de nada pois teve a memória apagada depois, provavelmente com a ajuda do Haitiano – e essas informações deixam a moça bastante abalada.
SPOILER FINAL: No momento da troca, muita confusão. West tenta fugir com Claire, mas é atingido por Elle. Benett então, acerta um tiro em Elle e resolve matar Bob para acabar de vez com a Compania. Porém, a “professia do quadro” se cumpre e Benett é morto por Mohinder.
Após isso, temos uma sequencia final muito bem realizada, que encerra o episódio de uma forma brilhante!
Aliás, gostei muito do fato dos realizadores terem concentrado a história em poucos personagens, dando assim a devida atenção a cada um dele. Não tivemos a presença de Peter, Nathan, Nick e Sylar, nem dos novatos Alejandro, Maya e nem de Mônica – que aliás, já sumiu da história a algum tempo.

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: