MORTE SÚBITA (Rogue/2007)

julho 12, 2008 às 6:00 pm | Publicado em Filmes | 2 Comentários

Davi Cruz – Nota 8,0

Tenho que admitir: o cara tem que ser muito corajoso para investir U$ 20 milhões em mais um filme sobre ataque de animal gigante. Apesar de não ser uma quantia muita alta para os padrões do cinema atual, há de se levar em consideração que se trata de um gênero pra lá de surrado .

Como raras exceções (TUBARÃO talvez seja o melhor exemplo), a grande maioria desses filmes não pode ser levada a sério, seja pelas histórias absurdas, seja pelas produções capengas.

Basta uma rápida busca no GOOGLE  para relembrarmos (ou descobrirmos) uma série de “pérolas”:

– TARÂNTULA (1955/1962)

– O ATAQUE DAS SANGUESSUGAS GIGANTES (1959) – esse deve ter sido f#da

– O ATAQUE DAS FORMIGAS GIGANTES (1977)

– PIRANHA (1978 ) – lançado aqui no nordeste como “O Ataque das Raparigas”

– ALLIGATOR (1980) – nunca passou no SBT…

– SKEETER – O ATAQUE DAS MOSCAS (1989)

– ARACNOFOBIA (1990) – bacana

– PÂNICO NO LAGO (1999)

– ABELHAS ASSASSINAS (2002)

– INFESTED – O ATAQUE DAS MOSCAS ASSASSINAS (2003)

– CÃES ASSASSINOS (2006) – esse é com a Michelle Rodriguez…

– PRIMITIVO (2007)

Para os filmes acima, cabe uma regra bem simples: quanto maior o nome, normalmente pior é o fime…

Chegamos então a ROGUE (não confundir com o filme ROGUE-O ASSASSINO, com o JET LI, cujo título original é WAR), o segundo filme de 2007 a falar do mesmo tema: crocodilo gigante (o outro se chama PRIMITIVO e não cheguei a o assistir).  Desta vez, a produção é australiana e a única referência que eu tinha sobre o diretor é seu trabalho anterior: WOLF CREEK – um filmezinho até que bem badalado, mas infinitamente inferior ao similar VIAGEM MALDITA.

Só que, para minha surpresa, o filme é bem interessante (entrou naquela regra do nome pequeno). Conta a história de um jornalista americano (Michael Vartan de ALIAS), especialista em viagens, que vai até a Austrália para escrever sobre alguns passeios. Um deles ocorre no Parque Nacional de Kakadu, famoso pela beleza  e pelas histórias envolvendo grandes crocodilos.

O filme já começa de forma interessante, não perdendo muito tempo com explicações e logo começando o passeio pelo rio. Os personagens são mais bem construídos do que a média desse tipo de produção e são apresentados de forma rápida e eficiente. Temos, entre outros, uma paciente terminal de câncer, um bad boy que acaba se sacrificando para salvar os outros e  um pai de família, que num momento de desespero coloca todos em perigo. Claro que não poderia faltar uma mocinha gostosa, que é representada aqui pela guia do grupo, Kate (Radha Mitchell de SILENT HILL).

Gostei do ritmo do filme, que não é acelerado. Ao invés de consumirem o tempo inventando brigas bestas entre os dois protagonistas, os realizadores preferiram consumir esse tempo mostrando as belas paisagens do local. Aliás, a fotografia do filme merece ser destacada, com belas cenas diurnas e noturnas.

Os efeitos são bem razoáveis e as ações dos principais personagens não soam absurdas, como é comum nesse tipo de filme. Também me agradou a forma com que a história assume que nem todos precisam morrer. Alguns personagens podem simplesmente se esconder (ou se perder) e reaparecer no final. Apesar de parecer uma solução simples, ela raramente utilizada em filmes de terror, onde sempre sabemos que TODOS vão morrer, escapando apenas o(a) mocinho(a) ou, no máximo, o casal.

Por isso, fica aí a dica: mesmo não sendo nenhuma obra-prima do cinema moderno, ROGUE é um filme honesto que, sem ter custado uma fortuna, consegue divertir e criar alguns momentos de tensão.

2 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. apesar de vc tentar elevar o filme um pouco mais nos eu texto.. eu passo…rs
    O ATAQUE DAS SANGUESSUGAS GIGANTES que coisa maravilhosa que deve ter sido mesmo.. irei procura-lo antes de Rogue…rs
    abraços!!!

  2. Oi,
    Detesto esses filmes de ataque de animais. Tem cara de sessão da tarde, sei lá. Mais eu amo seus comentários sobre filmes. =] Falando nisso, você viu Fim dos tempos? Depois me fala o que achou. Beijos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: