ARQUIVO X – EU QUERO ACREDITAR (The X Files: I Want to Believe/2008)

agosto 12, 2008 às 11:47 pm | Publicado em Filmes | 4 Comentários

ARQUIVO X – EU QUERO ACREDITAR gerou em mim o mesmo tipo de sensação que senti ao assistir a INDIANA JONES E O REINO DA CAVEIRA DE CRISTAL. Eu estava ciente de que ambas as histórias eram bem fracas, mas, mesmo assim, o carisma dos personagens, a competência da produção e um inequívoco saudosismo trataram de tornar a experiência bastante agradável – inclusive com um gostinho de “quero mais” ao final.

Muita gente, principalmente quem não é fã da série, questiona a qualidade do filme, dizendo que se trata de um filme “apenas para fãs”. Vou ser bem direto: quem não é fã que se f#da! Que assistam MALHAÇÃO ou que esperem pela volta de HEROES

Seguindo meu comentário, acho realmente difícil julgar as escolhas de Chris Carter, durante a criação do roteiro deste filme.  Ele, talvez, tenha considerado que os temas “mitológicos” da série já estavam saturados demais e que seria mais prático construir uma história ao estilo “mistério da semana”. Pensando de uma forma positiva, vejo que ele poderia ter escolhido fazer um roteiro “monstro da semana”, mas acho que seria bem mais difícil de engolir – pois acho que isso não funcionaria em um longa metragem.

De qualquer forma, não achei desprezível a trama, pois é claramente inspirada em antigos filmes de terror trash (não vou citar os nomes, pois isso soaria como SPOILER).

A história começa de forma interessante e muito tensa, mostrando uma agente do FBI sendo atacada e, posteriormente, raptada. A única pista sobre o seu paradeiro acaba sendo fornecida por um ex-padre pedófilo, que alega ter visões envolvendo a vítima. Além da procedência duvidosa, a pista não leva a lugar nenhum, deixando o caso ainda mais confuso.

Os investigadores encarregados do caso, conhecendo as histórias dos ARQUIVOS X, acabam pedindo ajuda a Mulder, que aceita colaborar mas exige a ajuda de Scully. Assim, a dupla volta à ativa, seis anos depois do final da série (que, sabemos, já não contava com a dupla no elenco regular).

Como sempre, Scully faz o papel da cética que, neste caso, não acredita no padre (achando que se trata de uma invenção dele, visando o perdão) enquanto Mulder, pelo contrário, mergulha de cabeça na história.

Acho importante citar como esse conflito mostra-se tão interessante quando nos melhores momentos da série, principalmente porque Billy Connelly consegue construir o ex-padre com bastante complexidade: mesmo claramente arrependido pelos seus crimes, ele não deixa de representar uma figura potencialmente perigosa.

Enquanto isso, David Duchovny volta a interpretar Fox Mulder como se nunca tivesse saído da série, o mesmo acontecendo com Gillian Anderson e sua Dana Scully.

Para quem é fã da série, além da história em si, ainda temos diversas citações bacanas, que lembrar os episódios clássicos, como os pôsteres na parede do quarto de Mulder (destaque para o foto da irmã dele e o famoso pôster I WANNA BELIEVE, que dá nome ao filme), o seu hábito de comer sementes de girassol, etc.

Temos também a presença do “chefe” Skiner no final do filme, Aliás, a presença dele me trouxe uma sensação estranha, dando a impressão de que as cenas haviam sido escritas para o policial durão (interpretado pelo rapper Xzibit), sendo posteriormente alteradas para incluir Skiner.

Achei a direção de Chris Carter, pela primeira vez dirigindo um longa metragem (no momento ele encontra-se filmando FENCEWALKER), pois consegue conduzir bem a maioria das seqüências (com exceção da queda da agente no fosso do elevador, que achei realmente esquisita). Somando-se a isso, temos a excelente fotografia, que consegue intensificar o clima obscuro daquela nevasca interminável.

Talvez o maior problema deste filme esteja no fato de que, sendo praticamente um “episódio grande”, ele nos dê a falsa sensação de que, na semana que vem, teremos outro episódio. Infelizmente, apesar dos boatos sobre uma possível volta da série, ainda não temos nenhuma confirmação de que voltaremos a ver essa maravilhosa e mítica dupla em ação novamente.

4 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Valew Davi pela força lá no blog.. tamos aí na correria, mas de vez em qdo dá pra entrar e visitar os blogs amigos…
    Cara, qto a esse filme, faz tempo que não vejo a série.. desde que terminou nunca mais a vi… e não curti muito o filme, mas pelo jeito parece que esse aí teve mais sorte… tomara que consiga encontrar tempo de ve-lo..rs
    abraços!!!

  2. Li hoje que o David Duchovny foi internado em uma clínica para viciados em sexo… por falar nisso, acho que ele faz um papel parecido em Californication.

  3. Tks pela visita. Amo AX. Sou excer de carteirinha. Assisti ao filme 4 vezes e só que em dezembro comprarei o dvd. :)

  4. Davi, simplesmente adorei seu post e concordo em muita coisa com você. Por aqui o filme chegou atrasado e estava até desanimada de assisti-lo devido a tantas críticas negativas. Apesar de achar que o roteiro poderia ser bem diferente, só de ver Mulder e Scully na telona, valeu o ingresso. Me arrepiava cada vez que ouvia a voz deles. Tomara que tenhamos um terceiro filme!!Abraços!!!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: