FRINGE [1X03] – The Ghost Network

setembro 28, 2008 às 1:59 pm | Publicado em FRINGE | 10 Comentários
Tags: , ,

Após dois primeiros episódios, que apenas me demonstraram o “potencial” da série, FRINGE parece realmente ter “pego no tranco” e começado a mostrar para que veio ao mundo.  Sem a preocupação inicial de nos apresentar o contexto da série e seus personagens, este terceiro episódio vai direto ao que interessa: um caso bizarro para ser investigado pelo trio Olivia, Walter e Peter.

Bizarro, aliás, é pouco para descrever o ocorrido: um ônibus é encontrado completamente preenchido por uma estranha substância, com todos os passageiros mortos e presos dentro.

Inciadas as investigações, Walter logo descobre que a tal substância contêm elementos fabricados apenas pela (quem mais poderia ser?) Massive Dynamics. Também é descoberto um estranho rapaz faz desenhos de acidentes que ainda não ocorreram – dentre eles, o do ônibus investigado – praticamente o mesmo “poder” de Isaac Mendez de HEROES.

Ao contrário do que poderia parecer inicialmente, tais previsões não são frutos de algum dom divino ou algo sobrenatural. Pelo contrário, são apenas efeitos colaterais de experimentos realizados pela equipe do própria Walter, anos atrás, quando buscavam desenvolver formas mais eficientes e seguras de comunicação. Ou seja, o rapaz havia se transformado em uma espécie de “receptor” que captava determinadas (e inovadoras) transmissões – no caso, realizadas por um grupo terrorista.

A história, apesar de parecer absurda em um primeiro momento, é construida de forma  eficiente e, principalmente, convincente. Walter monstra-se um personagem cada vez mais intrigante, enquanto Peter e Olivia já parecem estar mais a vontade em suas funções.

Falando em Peter, mais uma vez temos indícios do passado obscuro desse personagem, envolvido em com gente muito perigosa. Prova disso é a cena que mostra ele sendo vigiado e fotografado por um desconhecido. Tal cena também confirma que Walter, muitas vezes, “se faz de doido” pois, apesar de parecer desligado naquele momento, ele estava atento a tudo que ocorria com o seu filho.

Por outro lado, gostaria de destacar, a sequência envolvendo o piano, pois que mostrou um  lado mais sensível dos personagens. Além de Peter, que estava tocando, todos se aproximaram e pareceram emocionados com a música.

Estou gostando muito dos personagens secundários, principalmente os agentes Charlie Francis (Kirk Acevedo) e Astrid Farnsworth (Jasika Nicole) que formam um interessante paralelo: enquanto o primeiro é o amigo de Olivia na polícia “normal”, a segunda é sua companheira nas investigações “fringe”, onde participa como ajudante dos estranhos experimentos de Walter.

Isso sem contar o ótimo Lance Reddick (o Matthew Abaddon de LOST) no papel dos misterioso Phillip Broyles (papel que me lembra, obviamente, o Skinner de ARQUIVO X, já além de chefe preocupado, ele tem fortes contatos nos “dois lados” da conspiração)

Para encerrar, volto ao início do episódio, onde vemos Olívia participando do enterro do agente Scott, seu ex-amante. Além de mostrar todo o turbilhão de sentimentos por que passa a personagem, já que ela não sabe bem até que ponto foi “usada” por Scott, ainda preparar o terreno para o surpreendente final do episódio:  o corpo de Scott não havia sido enterrado e é mostrado num dos laboratórios da Massive Dynamics, onde encontra-se conectado a um equipamento experimental que está faz um “download” do seu cérebro.

Com este terceiro episódio FRINGE, para mim, já ultrapassa HEROES, mostrando-se realmente um série que, além de uma premissa interessante, consegue nos brindar com ótimos roteiros. É uma cópia de ARQUIVO-X, sim, porém feita com grande competência, enquanto HEROES, que tenta emular X-MEN e THE 4400, mostra-se cada vez mais comprometida pelos fracos roteiros.

Anúncios

10 Comentários »

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

  1. Adoro passar aqui!!!!
    Valeu a dica!!
    Tenha uma super semana!!
    Beijos
    Francine

  2. Esse foi o episódio que mais gostei mas, a série ainda não me fisgou, como foi no caso de Lost e Arquivo-X. Conconrdo, ela tem potencial, e muito, só que ainda não ultrapassou Heroes pois a primeira temporada, na minha opinião, foi muito acima da média. Claro, Fringe só teve três episódios e promete muito, enquanto Heroes parece já ter se perdido.

    Abraço!!!

  3. To quase pensando em escrever sobre a série tbm…hehehhe

    Mas aproveitando o espaço, escrevo aqui mesmo, certo!?

    Acho que Fringe mostra a mente conspiratória de JJ Abrams. O cara adora criar coisas que nos façam pensar que há algo muito maior envolvido e gerando problemas e conflitos. Além, claro, de envolver pessoas que estavam a parte de questões que a mente humana só tivesse a capacidade de imaginar.

    Em Fringe temos todos os “sonhos” científicos transformados em realidade, mas usados pelas pessoas erradas.

    Até agora tivemos 3 casos, mas 2 temas já se destacam e criam o mistério da série: o Padrão e a Massive Dynamics. Acho que esses 2 temas é que levarão a série por um bom tempo, ou pelo o Padrão pode ser o grande ponto para o Season Finale… tô pensando longe já, não!?

    Agora o que achei de mais interessante na série, é que todas as resoluções e idéias malucas do Dr. Bishop nos fazem pensar quanta bobagem e coisa fora da realidade juntas em um só seriado. Mas… pouco depois de pensarmos isso, sempre surge uma piadinha para nos colocar em nosso lugar e pensar que tudo não passa de uma série de ficção onde tudo pode ser possível. Nesse último episódio, o maior exemplo disso, foi a piada que o Dr fez com Roy sobre captar Tv a cabo de graça!!! Fantástico!!

    Juro, pouco antes dessa cena, eu tava pensando: “Que coisa maluca de captar conversa dos outros…”

    Acho que isso é Fringe, mostrar o poder de alcance e do desenvolvimento da ciência e brincar com isso…

    Grande abraço, Davi e galera do Tô Assistindo…

  4. Grande Wagner!

    Eu realmente peguei no pé de HEROES desde a primeira temporada, quando algumas mentes brilhantes insistiam em dizer que HEROES era “muito melhor do que LOST”…

    A questão é que, atualmente, tenho grandes esperanças de encontrar bons episódios em FRINGE (mesmo correndo o risco de me decepcionar) e não espero mais nada que preste em HEROES.

    abraço!

  5. E aí Leco, tudo bem?

    Valeu pelo texto, muito bom mesmo!
    Acho que ponto é realmente esse: a forma com que FRINGE é conduzida (uma boa dose de teorias pseudo-científicas combinada com algumas tiradas de humor) nos leva a ignorar os absurdos do roteiro e gostar da série.

    Além disso, percebo que em vários momentos eles colocam, na boca dos personagens, perguntas que nós gostaríamos de fazer. Um exemplo é o momento em que Olivia vê o ônibus cheio de cadáveres e pergunta: “Porque não utilizaram explosivo plástico ou algo mais tradicional?”.

    Outra coisa importante é a interessante construção de uma “mitologia” da série, desde os primeiros episódios. O grande foco, como você já citou, será o PADRÃO e sua relação com a Massive Dynamics (que, por sua vez, aparenta ter uma estreita relação com todos os personagens da série).

    Abraço cara!

  6. DAvi eu achei o episódio muito bom, porem achei mais fraco que os anteriores! :)

    Estou gostando bastante da série, ela caminha para ser a melhor da temporada!

  7. Pois é Lucas, achei justamente o contrário… O primeiro tinha cara de filme B e o segundo, pelo menos na minha opinião, ainda tinha um certo problema de ritmo.

    Esse terceiro, bem ou mal, mostra como será o restante da série.

    Mas valeu pela visita! Muita gente concorda contigo, mas eu realmente gostei mais desse episódio.

    abraço!

  8. Excer de carteirinha como sou, também não pude deixar de ver no agente Phillip Broyles o Walter Skinner. :)

  9. Gente, esta e’ a 1a serie a que eu assisto. Nunva vi X-Files, Lostm Heroes ou qq outra. Gostaria de fazer uma pergunta: Em todas estas series furos sao normais e devem ser aceitos como uma certa liberdade poetica que servem para poder fazer com que a historia funcione ou Fringe esta exagerando? So alguns exemplos: No primeiro episodio o Dr. Walter, apos 17 anos presos, retoma seu laboratorio (que esteve fechado este tempo todo) e, alem de tudo funcionando, esta cheio de monitores LCD de 21″!!! Outro: No 2o ele vai buscar um carro que estava escondido numa garagem e o carro esta no chao com os 4 pneus cheios!!! Mas a pior e’ essa: No mesmo 2o episodio o bebe que nasce e fora do corpo da mae cresce ate o tamanho de um adulto envelhece e morre em apenas 4 horas. Ate ai tudo bem, faz parte do experimento, mas como alguem me explica que um corpo possa crescer (ganhar massa) sem ser alimentado??? Sera que ele transforma o ar a sua volta em carne??? Por favor me expliquem! Abracos.

  10. Onde eu acho q porra da merda aqui pra mim fazer o Download dessa porra aqui to procurando faiz tempo e mms assim num da nada aqui.

    Aff…

    TNC!!!!!!
    Quero ver o Ep.1×03


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: